quarta-feira, 29 de abril de 2009

terça-feira, 28 de abril de 2009

Final do mês de abril...

Para quem entrou aqui esperando ler coisas do tipo "nossa... como tempo passou rápido" ou "gente... já estamos quase na metade do ano", lamento. Quero escrever sobre as surpresas que o mês de abril, especialmente em seu final, sempre me reservou ao longo da vida e só agora percebi.
Lembro que, ainda com 10 ou 11 anos, uma colega da minha tia que, como ela, cursava psicologia, adorava me pedir para fazer desenhos, claro, para que pudessem analizá-los mais tarde. E certa vez ela disse: "Que linda essa casinha!" E me perguntou: "Tens algum dia em que tu estás mais inspirado ou não?" E eu, na minha ingenuidade e fansia, respondi: "Sim. No Natal, na Páscoa, no dia do meu aniversário... (pensando mais um pouco) dia 25 de abril e dia 7 setembro." A minha tia, sempre céptica, retrucou: "ah... Já bobeou." (será que ela lembra disso?)
Eu simplesmente adorava a semana da Pátria, mas nunca entendi aquele 25 de abril!
Hoje em dia, evidentemente, após um acontecimento que mexeu bastante comigo, parei para avaliar sobre algumas coisas que aconteceram comigo mais ou meno nesta época do ano.
Foi num final de abril que beijei pela primeira vez alguém que, por muito
tempo, considerei um grande amor. Foi no final de outro abril que comecei a namorar a garota mais linda (em todos os sentidos) que jamais conheci. Foi no final de mais um abril que estreei meu primeiro espetáculo de teatro. Foi noutro final de abril que recebi a notícia da aprovação no melhor concurso que fiz até hoje. Foi num final de abril que me cadastrei para financiar aquela que hoje é minha casa. Hoje, fechei um show para a Flor do Asfalto, num lugar onde há muito queríamos tocar. Ontem, recebi um convite irrecusável para atuar novamente. E, o principal... Nos últimos dias, sinto que preenchi meu peito, depois de tanto tempo.
Tudo isto, talvez, para compensar o fato de que foi num distante abril que vi minha mãe pela última vez.
Eu sou muito bom com datas, mas confesso que tive de confirmar em "documentos" algumas de minhas suspeitas. O fato é que o cinema chamou novembro de "doce". Mas eu, chamo abril... Meu mês da sorte... Doce Abril!

sexta-feira, 24 de abril de 2009

Boas novas ao cinema pelotense...

Através de parceria entre o Theatro Sete de Abril, a SECULT, o Curso de Cinema e Animação/UFPEL e IF-Sul foi desenvolvido em 2008, o projeto Sete Imagens.
O projeto visa oportunizar um local apropriado para a mostra de filmes de 3 a 20min, tanto de produções locais, como de outras regiões do estado, sendo seguido por um debate entre os produtores do audiovisual.
A seleção dos projetos acontece de 31 de março a 08 de maio e a prefeitura disponibilizará uma ajuda de custo para estes no valor de R$300,00 (trezentos reais). O valor, que parece pequeno, é uma grande "luz" para quem gosta e produz cinema em Pelotas.
O Sete Imagens foi idealizado para acontecer numa única quinta-feira de cada mês, das 18h30 às 20h e tem estréia marcada para 28 de maio.
Maiores informações sobre regulamento e incrição, no site, na secretaria do theatro a Rua XV de Novembro nº560 ou pelo telefone (53) 3225.5777.

sexta-feira, 17 de abril de 2009

Dívida...

Sei que estou em dívida com aqueles que costumam frequentar o Sundae, Blog Sundae... Mas estou num período de provas, trabalhos, seminários, que estão me sugando.

Logicamente, em breve, pretendo voltar a postar por aqui. E quem sabe o próximo post não traga um nu, artístico e atualizado, meu (trash), para que possam comprovar essa sugação toda.

Forte Abraço

sábado, 11 de abril de 2009

Painéis criativos...

Recebi por e-mail com fotos de uns painéis de uma campanha que pretende combater a violência no trânsito e vou dividí-los com vocês...
Painel 1...

Painel 2...

Painel 3...

Painel 4 (o melhor)...
Embora sejam extremamente criativos e bem humorados, não acho que o objetivo da campanha seja alcançado. Se eu estivesse na direção, e encontrasse um desses, bateria em alguém, de tanto rir. hehehe

quinta-feira, 9 de abril de 2009

Coelho da Páscoa...

- Papai, o que é Páscoa?
- Ora, Páscoa é... bem... é uma festa religiosa, meu filho!
- Igual ao Natal?
- É parecido. Só que no Natal comemora-se o nascimento de Jesus, e na Páscoa, se não me engano, comemora-se a sua ressurreição.
- Ressurreição?
- É, ressurreição. Marta, vem cá!
- Sim?
- Explica pra esse garoto o que é ressurreição pra eu poder ler o meu jornal.
- Bom, meu filho, ressurreição é tornar a viver após ter morrido. Foi o que aconteceu com Jesus, três dias depois de ter sido crucificado. Ele ressuscitou e subiu aos céus. Entendeu?
- Mais ou menos... Mamãe, Jesus era um coelho?
- Que é isso menino? Não me fale uma bobagem dessas! Coelho! Jesus Cristo é o Papai do Céu! Nem parece que esse menino foi batizado! Jorge, esse menino não pode crescer desse jeito, sem ir numa missa pelo menos aos domingos. Até parece que não lhe demos uma educação cristã! Já pensou se ele solta uma besteira dessas na escola? Deus me perdoe! Amanhã mesmo vou matricular esse moleque no catecismo!
- Mamãe, mas o Papai do Céu não é Deus?
- É filho, Jesus e Deus são a mesma coisa. Você vai estudar isso no catecismo. É a Trindade. Deus é Pai, Filho e Espírito Santo.
- O Espírito Santo também é Deus?
- É sim.
- E Minas Gerais?
- Sacrilégio!!!
- É por isso que a Ilha da Trindade fica perto do Espírito Santo?
- Não é o Estado do Espírito Santo que compõe a Trindade, meu filho, é o Espírito Santo de Deus. É um negócio meio complicado, nem a mamãe entende direito. Mas se você perguntar no catecismo a professora explica tudinho!
- Bom, se Jesus não é um coelho, quem é o coelho da Páscoa?
- Eu sei lá! É uma tradição. É igual a Papai Noel, só que ao invés de presente ele traz ovinhos.
- Coelho bota ovo?
- Chega! Deixa eu ir fazer o almoço que eu ganho mais!
- Papai, não era melhor que fosse galinha da Páscoa?
- Era... era melhor, sim... ou então urubu.
- Papai, Jesus nasceu no dia 25 de dezembro, né? Que dia que ele morreu?
- Isso eu sei: na Sexta-feira Santa.
- Que dia e que mês?
- (???) Sabe que eu nunca pensei nisso? Eu só aprendi que ele morreu na Sexta-feira Santa e ressuscitou três dias depois, no Sábado de Aleluia.
- Um dia depois!
- Não, três dias depois.
- Então morreu na quarta-feira.
- Não! Morreu na Sexta-feira Santa... ou terá sido na Quarta-feira de Cinzas? Ah, garoto, vê se não me confunde! Morreu na sexta mesmo e ressuscitou no sábado, três dias depois! Como? Pergunte à sua professora de catecismo!
- Papai, por que amarraram um monte de bonecos de pano lá na rua?
- É que hoje é Sábado de Aleluia, e o pessoal vai fazer a malhação do Judas. Judas foi o apóstolo que traiu Jesus.
- O Judas traiu Jesus no sábado?
- Claro que não! Se Jesus morreu na sexta!!!
- Então por que eles não malham o Judas no dia certo?
- Ui...
- Papai, qual era o sobrenome de Jesus?
- Cristo. Jesus Cristo.
- Só?
- Que eu saiba sim, por quê?
- Não sei não, mas tenho um palpite de que o nome dele era Jesus Cristo Coelho. Só assim esse negócio de coelho da Páscoa faz sentido, não acha?
- Ai Coitada!
- Coitada de quem?
- Da sua professora de catecismo!
Luis Fernando Veríssimo

segunda-feira, 6 de abril de 2009

Finalmente foi-se o Celso...

O Celso Roth demitido??? Quase não acreditei.
Depois de mais uma derrota em Grenal, por mais que digam que o Inter tenha sido "dominado" em pleno Beira-Rio (não assisti nem ouvi, graças ao monopólio global e falta de um rádio), o até então técnico (teimoso e retranqueiro) do meu time, teve a carteira de trabalho finalmente devolvida.
Acho que uma diretoria como a do Grêmio querer continuar usando slogans como "imortal tricolor" ou "nada pode ser maior", tendo um time que sai na frente do placar (1x0, gol do Tcheco), faz um penalti idiota no Nilmar (1x1, gol do Andrézinho) e deixa empatar um jogo aos 33mim do segundo tempo (2x1, gol de Índio), depois de perder 4 gols feitos e meter 2 bolas na trave durante a partida... Por favor, tem que ter muita cara de pau!
Só espero que não chamem alguém como Leão ou Renato gaúcho para dirigir a equipe. Pois por mais que sejam ídolos, não é o que o Grêmio precisa agora.
Desculpa aí Celso, mas... "já não era sem tempo". E como diria a Roberta Miranda... "Vá com Deus!!"

sábado, 4 de abril de 2009

Como prometido...

Publico uma das fotos da festa a fantasia da minha turma, com alguns dos meus colegas de faculdade.


Fantasia vencedora do Troféu Abacaxi de Originalidade: a viúva louca (vestido em voal bordado na cor preto, peruca "Channel" amarela, óculos escuros no melhor estilo "Jack Kennedy", um terço e uma fitinha do Nosso Senhor do Bonfim no pulso, maquiagem totalmente borrada e porta-retrato com a foto do marido recentemente falecido - o ator global Sidnei Sampaio).
"Ah... Que saudades do Sidão!"
A festa foi muito divertida. Essa turma é "do balacochet".
André Christ

sexta-feira, 3 de abril de 2009

A minha turma da Escola de Direito promove hoje uma festa a fantasia, com "direito" a churrasco, cerveja liberada, piscina e até premiação para a fantasia mais original.

Das fantasias que circularão por lá (ao menos as que eu sei), não uma só que não combine com quem irá usar. Entre anjinhos e demônios, freirinhas e padres, exús e pombas-gira... A certeza de que será muito divertido! hehe

Eu vou fantasiado de... Bom, eu conto depois. Aguardem uma ou outra foto!

André Christ

quinta-feira, 2 de abril de 2009

Vingança...

Hoje não estou muito afim de escrever. Mas para não deixar vocês na mão (fico pensando se alguém realmente lê esse Blog, já que quase ninguém comenta)... Vou postar link do trailer de VINGANÇA, filme do gaúcho Paulo Pons.



O longa metragem do pedro-osoriense Paulo Pons, que estreou em novembro do ano passado nos cinemas brasileiros, estará no Festival de Berlin desse ano e, não só porque Berlin é um dos festivais que mais me chama a atenção, mas em razão de tudo o que achei sobre o filme na internet, devo dizer que fiquei com muita vontade de assistir.

André Christ

quarta-feira, 1 de abril de 2009

Seleção no rio grande do sul...

Embora a seleção brasileira não tenha feito um jogo esplendoroso, como mereciam os gaúchos pela recepção que fizeram, finalmente venceu com folga um adversário nestas eliminatórias sul-americanas para a Copa do Mundo de 2010. Brasil 3x0 Peru.

O Peru era um adversário teoricamente fraco, é verdade. Mas a seleção paraguaia, lider da competição, talvez também vitimada pela atitude de Quito, só empatou em 1x1, já nos acrécsimos, com a seleção do Equador. E agora está apenas 3 pontos à frente do Brasil (segundo colocado).

Mas o mais fantástico desse 1o. de abril foi ver as "antas", os "bobos" argentinos, afetados pelo ar rarefeito da altitude de La Paz, da qual o próprio técnico Maradona foi garoto propaganda ao lado do Presidente Evo Moralles, levar 6x1 dos bolivianos, vice-lanterna das eliminatórias. Tomaram no...

Na minha opinião Maradona não devia ter arriscado, como fez Franz Beckenbauer, Lius Felipe Escolari, Zico, Falcão, Dunga e tantos outros, tornando-se técnico de seleções de futebol. Simplesmente porque Diego Armando não foi só jogador de qualidade indiscutível, mas um dos melhores de todos os tempos, um gênio. Neste aspecto, o Pelé é que foi "tri" esperto.

Que venha o Uruguai, o Paraguai, a liderança das eliminatórias e a Copa das Confederações.

André Christ

Dois brancos, um preto, uma mina e um japonês...

Então... Como hoje é 1o. de abril... Acontece o grande lançamento do curta metragem no qual atuei.

DOIS BRANCOS, UM PRETO, UMA MINA E UM JAPONÊS, da Produtora Fake Canibais Etíopes Não Comem Carne.

Deixe carregando e vá tomar um café, fumar um cigarro, chupar uma manga... Mas não deixe de assistir.



Se preferir, assista no YouTube...

Aproveite que a Páscoa esta próima e ajude a malhar o Judas... Fale mal, mas deixe seu comentário.

André Christ

Raul e Gabriel...

Nesta terça-feira (lembrem desta data), dois homens importantíssimos acabaram partindo inexperadamente. Muito embora um tenha atuado na política e outro na literatura, a biografia dos dois é de fundamental importância para a formação da identidade do povo latino-americano.

Raul Alfonsin
Presidente da Argentina de 1983 a 1989, nasceu no dia 12 de março de 1927, em Chascomús, Buenos Aires. Depois da derrota da Argentina na Guerra das Malvinas (1982) contra a Grã-Bretanha, a vitória eleitoral de Raúl Alfonsín, que desde 1981 dirigia a União Cívica Radical (UCR), de orientação social-democrata, pôs fim a oito anos de ditadura militar. Apesar dos seus êxitos na política externa (entre os quais a resolução, com ajuda do papa João Paulo II, do conflito de fronteira com o Chile sobre o Canal de Beagle em 1984, e o acordo com a Grã-Bretanha em 1985), a sua política interna fracassou. O estadista argentino perdeu a presidência em 1989 para o candidato peronista Carlos S. Menem, o que se atribui à escalada dos conflitos sociais em conseqüência da crise econômica.

Neste 31 de março, o símbolo do retorno da Argentina à democracia, após uma violenta ditadura militar, morreu vítima de um câncer no pulmão, aos 82 anos, em sua casa em Buenos Aires, informou um dos médicos que o atendeu.

Gabriel José García Márquez
Nascido em 1928, em Aracataca (Colômbia), e foi criado na casa de seus avós maternos. Completou os primeiros estudos em Barranquilla e Bogotá. Chegou a iniciar o curso de direito, mas logo enveredou para o jornalismo. Em 1955, viajou para a Europa como correspondente. No final dos anos 50, de volta às Américas. Em 1960, mudou-se para a Cidade do México e começa a escrever roteiros para cinema. Publicou então seu primeiro livro de ficção, Ninguém Escreve ao Coronel, e aquele que seria seu romance mais conhecido, Cem Anos de Solidão (1967). Até 1975, García Márquez viveu na Espanha. Em 1981, voltou para a Colômbia; acusado pelo governo de colaborar com a guerrilha, exila-se no México. Em 1982, recebeu o Prêmio Nobel de Literatura. Retornou ao jornalismo em 1999 e em 2001, publica Viver Para Contá-la, primeiro volume de sua autobiografia. García Márquez é o autor de Crônica de uma Morte Anunciada (1981), O Amor nos Tempos do Cólera (1985), O General em Seu Labirinto (1989) e Notícias de um Seqüestro (1996), entre outros livros de ficção, memória e reportagem.

Neste 31 de março, a agente literária Carmen Balcells, uma das mais atuantes no meio literário de língua espanhola, previu o silêncio definitivo do escritor colombiano Gabriel García Márquez, vencedor do Prêmio Nobel de Literatura em 1982, dizendo em entrevista ao jornal chileno La Tercera: "García Márquez não voltará a escrever nunca mais."

Não devemos lamentar a "partida" destes homens, mas aplaudi-la. Porque tanto Raul quanto Gabriel deixaram, há muito, cicatrizes históricas e ideológicas como herença para a latino-américa.

André Christ